Drogas que moderam o apetite por álcool e nicotina

Quarta, 01 Janeiro 2014 18:52

Acesse: Drogas que moderam o apetite por alcool e nicotina.pdf 

Drogas que moderam o apetite por álcool e nicotina

Ronaldo Laranjeira
Coordenador da UNIAD (Unidade de Pesquisas em Alcool e Drogas)
Escola Paulista de Medicina Universidade Federal de Sao Paulo

A área de dependência química passa por grandes modificações. Novos medicamentos tem sido propostos para ajudar as pessoas que queiram modificar seu comportamento em relação a algumas drogas. Com a aprovação pelo FDA (Food and Drug Administration) de dois medicamentos que ajudam as pessoas a pararem de beber e de fumar podemos nos perguntar quais seriam as bases biológicas que justificariam essa abordagem.
Esses últimos anos de pesquisa na área mostram que o cérebro de um dependente de drogas é qualitativamente diferente de um não usuário. Podemos dizer que agudamente as drogas têm um local de ação muito específico no cérebro. Por exemplo a cocaína age impedindo a recaptação de dopamina, os benzodiazepínicos agem por meio do GABA, o álcool agem por múltiplos neurotransmissores, etc. No entanto aparentemente na dependência de drogas existe um denominador neurobiológico comum que é um aumento da dopamina no núcleo accumbens e no sistema dopaminérgico mesolímbico. Essa região que é chamada de "Brain Reward System" estaria alterada na dependência de drogas.
Ao longo da evolução animal desenvolvemos uma região cerebral responsável pelo prazer. Isto foi importante pois os animais tendem a repetir aquilo que é prazeiroso e que também é responsável pela manutenção da espécie e do individuo. Alimentação, relações sexuais, abrigar-se do frio e das intempéries, etc todos são comportamentos que envolvem prazer e ao mesmo tempo são importantes para o animal. As drogas que produzem dependência agiriam neste mecanismo biológico do prazer pervertendo muito das escolhas do animal e do homem. Argumenta-se que como o "Brain Reward System" também envolve o cortex pré-frontal, muito dos pensamentos e ações de alguém dependente de uma droga estaria sendo determinado por essas alterações biológicas.

Ler 1949 vezes