moodleinpad    

       

Notícias

Gardênia Machado Sousa, Liana Dantas da Costa Silva

Profile of users served in the center of psychosocial care alcohol and drugs: possible relationships between
co-morbidities and alcohol
A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que atualmente existam dois bilhões de pessoas em todos os continentes que consomem bebidas alcoólicas e cerca de 76,3 milhões convivem com
diagnóstico de desordens relacionadas ao consumo dessas bebidas.
A população brasileira encontra-se entre os maiores consumidores de álcool (WHO, 2004).
Do uso social ao problemático, o álcool é consumido por aproximadamente dois bilhões de pessoas. Nos últimos anos, evidências científicas têm apontado a importância de conhecer o padrão de uso de álcool, que, dependendo da forma, elevaria o risco de desenvolvimento de problemas de saúde, familiares, ocupacionais, entre outros (LARANJEIRA, 2007).

GRUPO DE ESTUDOS SOBRE ÁLCOOL E OUTRAS DROGAS – GEAD / UFPE

“Entre pedras e tiros:perfil dos usuários, estratégias de consumo e impacto social do uso do crack”

facepe

David T. Courtwright
University of North Florida

 El comercio de ultramar y la expansión europea durante los siglos XVI, XVII y XVIII convirtieron las sustancias psicoactivas, incluidos el tabaco y las bebidas alcohólicas, en productos globales. Desde sus inicios, el comercio de estos productos generó controversias. Los médicos discutían acerca de las indicaciones, dosis y riesgos de las drogas importadas. Cuando el uso de éstas se extendió más allá del campo de la medicina, el Estado intervino. Algunos gobernantes recurrieron a la mutilación y las ejecuciones para hacer cumplir las prohibiciones, particularmente la que pesaba contra fumar tabaco. Ninguno tuvo éxito en erradicar este nuevo vicio ni en suprimir el cultivo del tabaco, el cual rápidamente alcanzó diEl mensión mundial.

Luana Dallo
UNESP
Resumo: Os adolescentes têm questionamentos sobre sexualidade e drogas. Entretanto, as pessoas que compõem a escola, muitas vezes, não estão preparadas para responder as dúvidas, podendo até mesmo, por meio da sua fala, deixar transparecer estereótipos de gênero, preconceitos e informações distorcidas. È neste sentido, que se pretende, neste trabalho, discutir a formação de multiplicadores para a prevenção ao uso de drogas e sexo desprotegido. Partindo-se de um estudo teórico, propõe-se analisar o desenvolvimento de programas de prevenção ao uso de drogas, posteriormente as questões importantes que devem ser incluídas nos projetos preventivos às DSTs/AIDS e, por último, a formação de multiplicadores, os quais seriam os próprios alunos e os professores, e que, assim, poderiam estar unidos no mesmo projeto.

acesse

Barbosa de Oliveira, Elias; Ferreira Furegato, Antonia Regina

Estudo qualitativo descritivo que objetivou descrever os fatores de risco no ambiente de trabalho para o consumo de álcool e outras drogas, e também ratificar a importância dos fatores protetores. Utilizou-se entrevista com roteiro em 51 acadêmicos de enfermagem da Universidade do Estado do Rio de Janeiro que atuam nos serviços de saúde do município. Resultados: os alunos referiram ao trabalho como fator de risco para o consumo de drogas como o álcool, cigarro e ansiolíticos. Concluiu-se que na abordagem da prevenção, deve-se trabalhar com metodologias participativas e valorizar as experiências pregressas dos alunos, o convívio familiar e grupal, e as características individuais. Recomenda-se atenção aos fatores protetores.

Acesse na íntegra

Silvania Suely Caribé de Araújo Andrade,  Renata Tiene de Carvalho Yokota,  Naíza Nayla Bandeira de Sá,  Marta Maria Alves da Silva,  Wildo Navegantes de Araújo,  Márcio Dênis Medeiros Mascarenhas,  Deborah Carvalho Malta

A violência é definida como uso intencional da força física ou do poder, de modo real ou em ameaça, autoinflingida, interpessoal ou coletiva,
que resulte ou tenha alta probabilidade de resultar lesão, óbito, dano psicológico, deficiência de desenvolvimento ou privação. O ato violento
pode ser de natureza física, sexual, psicológica ou privação/negligência.

Drogas, Violência e Aspectos Emocionais em Apenados

Terça, 09 Outubro 2012 19:11 Publicado em ARTIGOS

Drugs, Violence and Emotional Aspects in Prisoners
Gislaine Pereira Tavares, Morgana Scheffer & Rosa Maria Martins de Almeida

O fenômeno da violência vem sendo estudado em diversas áreas, principalmente, na psicologia, devido ao seu potencial de ameaça à vida (Liu & Werker, 2005). Destaca- se que a compreensão do fenômeno da violência deve iniciar com o reconhecimento de que é um problema mundial, histórico e multifatorial, sendo sua conceituação, considerada complexa, já que apresenta variações conforme valores culturais que são vigentes em um determinado período histórico (Almeida, 2002; Gauer, 2001; Guareschi, Weber, Comunello, & Nardini, 2006; Marzial, 2004; Minayo, 1994).

NIDA - National Institute on Drug Abuse

A publicação apresenta uma pesquisa com base em princípios de tratamento da dependência que podem informar os programas de tratamento da toxicodependência e serviços no estabelecimento da justiça criminal.

Acesse o formato eletrônico

Marcelo_Ribeiro_de_Araujo_G1

g1.globo.com
As autoridades públicas responsáveis pela operação dizem que a ação está dividida em etapas.
Pagina 1 de 5

RELATÓRIO FINAL - II LENAD

Screen-Shot-2014-05-10-at-18.04

Resultados do II LENAD

lenadII