moodleinpad    

       

Governo implanta programa de assistência a família de usuários

Segunda, 07 Agosto 2017 17:34

Jornal Diário de S. Paulo

Recomeço Família capacitou técnicos em 6 cidades paulistas. Modelo será replicado para todo o estado, diz secretário de Desenvolvimento

Por: Alex Godoi Pinheiro 

Foto: Divulgação

"Atrás de cada linha de chegada, há uma de partida." Com mensagens de apoio e esperança, como esta acima, a Secretaria Estadual de Desenvolvimento Social apresentou nesta semana, na Água Branca, Zona Oeste, os resultados do trabalho realizado pelos Cras (Centros de Referência de Assistência Social), onde 31 técnicos foram capacitados para o atendimento de 1.825 famílias em seis cidades do estado: Catanduva, Botucatu, Campinas, Sorocaba, Marília e Ribeirão Preto.

O projeto piloto foi desenvolvido para assistir famílias em áreas de vulnerabilidade social e com maior incidência de uso de drogas. 

A partir de agora, todas elas serão acompanhadas pelos técnicos, e a estimativa do governo é capacitar novos profissionais da área de assistência social para atendimento em todo o território paulista nos próximos meses.

A apresentação do resultado ficou a cargo do Grupo de Trabalho Recomeço Família, que realizou os treinamentos direcionados à sensibilização e qualificação de pessoal durante um ano. As iniciativas foram expostas de maneira itinerante, divididas em sete estações na Casa das Caldeiras.

De acordo com a coordenadora do Cras Leste - Botucatu, Nathália da Silva Carriel, o programa "fortalece o apoio das famílias de dependentes químicos, com sensibilidade no acolhimento das pessoas envolvidas", disse a assistente social, que realiza o trabalho na cidade desde 2010. "Através do mapeamento de áreas de vulnerabilidade do município, são feitas as ações junto aos familiares."

FORTALECIMENTO/ A secretária municipal de Assistência Social de Botucatu, Silvia Fumes Carvalho, lembrou que "o fortalecimento das ações dos Cras depende muito de uma gestão eficiente do poder público municipal".

Silvia afirmou, ainda, que "todo trabalho é articulado em rede, com apoio das demais secretarias envolvidas no programa, como Saúde, Educação entre outras".

'Gerou um produto final muito interessante'

Durante o evento do programa Recomeço Família, o secretário estadual de Desenvolvimento Social, Floriano Pesaro, falou sobre os conceitos do programa, além dos desafios do governo sobre o tema, além da situação da Cracolândia, na capital paulista.

DIÁRIO_ Qual a avaliação da pasta para o programa até aqui?

FLORIANO PESARO_ O programa gerou um produto final muito interessante, podendo ser ampliado para outros municípios do estado. Visa construir, de forma intersetorial, envolvendo pastas como Saúde, Esportes e Educação, estratégias para o atendimento das famílias de dependentes químicos.

Quais os desafios para replicar o programa na capital e em outros municípios?

Uma das ideias é transformar a metodologia criada em políticas públicas para todo o estado. É uma experiência inovadora, muito válida. Foi bom também para verificarmos a vulnerabilidade do poder público, como a falta de equipamento e recursos. Servirá de base para futuros trabalhos.

Na capital, quais os desafios que a secretaria encontra em relação à Cracolândia?

Todos gostaríamos que a Cracolândia acabasse e ninguém mais usasse drogas. Mas sabemos que a realidade é bem diferente. O que está acabando no local é o domínio dos traficantes, que exploram os dependentes, inclusive, adolescentes e mulheres. Vamos continuar assistindo e acolhendo os usuários, com dificuldade, pois não é fácil tratar a dependência química, especialmente do crack, que é uma droga muito pesada.

 
 
Ler 503 vezes
         
         

RELATÓRIO FINAL - II LENAD

Screen-Shot-2014-05-10-at-18.04

Resultados do II LENAD

lenadII